Monthly Archives: fevereiro 2016

Trocar periodicamente a areia do filtro

A fim de manter adequadamente o seu sistema de filtragem da piscina é importante mudar periodicamente a areia do filtro. A areia se torna tão saturada com detritos orgânicos, pele, cabelo e óleos que já não é capaz de filtrar a água o suficiente para manter a claridade.

Durante a operação de filtragem, o material suspenso passa pelo filtro, e os pequenos grânulos de areia retêm as mais diversas partículas, para que a água retorne limpa à piscina.

Com o tempo, o material retido na areia diminui o fluxo da água dentro do filtro, podendo causar entupimento do sistema e como consequência aumentar o tempo de filtragem, já que a vazão de retorno diminui drasticamente.

Para eliminar o material retido na areia, é necessário realizar a retrolavagem do filtro, de acordo com as instruções do equipamento.

O atrito causado entre os grânulos de areia durante o processo de filtragem faz com que eles se desgastem, e a capacidade de retenção das partículas de sujeira diminui, além disso, no processo de retrolavagem há uma pequena perda de areia.

Para garantir que a água fique sempre cristalina após o processo de filtragem, o equipamento deve passar por revisão anual, para verificar se há necessidade de troca ou reposição da areia.

Agora a troca de areia do filtro ficou muito mais simples  com o kit de retirada de areia.

 

Bom dia!!!Agora a troca de areia do filtro ficou muito mais simples com o kit de retirada de areia#piscina #sodramar #pantanalpiscinas #facilitandosempre

Publicado por Pantanal Piscinas em Sexta, 19 de junho de 2015


Escolher e cuidar do revestimento interno

Category : Piscinas , Todas

Observar a resistência do material a mudanças de temperatura e à exposição dos raios ultravioleta ajuda na hora de fazer uma boa compra.

A beleza de uma piscina vai muito além de sua borda. Acertar na escolha do revestimento interno (tanto no quesito estético quanto no de qualidade) é essencial antes de concluir o projeto.
Durante a compra dos materiais, algumas características devem ser observadas: resistência à mudança de temperatura, à exposição frequente aos raios ultravioleta e à limpeza com produtos químicos.

Entre as opções mais usadas para revestir a piscina estão cerâmicas, porcelanas, pastilhas de vidro e pedras.
A cerâmica é o modelo que ganha dos demais na relação custo x benefício. Além de exigir baixo investimento , tem aplicação fácil e dispensa mão-de-obra especializada.
Outra vantagem a ser considerada é a resistência do revestimento aos raios ultravioleta, movimentos da estrutura da piscina e produtos químicos usados na limpeza.
Sua desvantagem aparece, entretanto, na falta de ousadia estética do resultado final, mesmo quando as peças estão bem assentadas.
As tradicionais pastilhas de vidro, por outro lado, conseguem trazer um bonito efeito visual. A variedade de formatos e cores do material permite que desenhos (e até mosaicos) sejam produzidos.

O mesmo acontece com os revestimentos em porcelana, que têm baixa absorção de água, são resistentes aos produtos químicos, a manchas e a choques térmicos.
O ponto negativo é o preço das pastilhas, pois acabam sendo mais caras do que as cerâmicas e sua instalação pede um profissional experiente. Além disso, a quantidade de rejunte usada durante o assentamento é grande, tornando a manutenção da piscina mais difícil.
Para quem busca uma alternativa nos revestimentos vinílicos, o importante é conferir sua resistência (e seu nível de desbotamento). O vinil é aplicado sobre o concreto da piscina e ganha vantagem por impermeabilizar o local – reduzindo uma das etapas da construção.

“Existe também a ideia de misturar diversos tipos de revestimentos, mas fique atento aos coeficientes de dilatação”, afirma Mauro Magliozzi, professor de design de interiores da Panamericana Escola de Arte e Design.
As pedras naturais representam mais uma possibilidade de revestir a área interna da piscina. Oresultado fica diferente e dá até para escolher a “tonalidade” da água.
Isso porque, peças vulcânicas como Hijau e Hitam deixam um aspecto esverdeado ou azulado, já a pedra mineira garante um tom amarelo.
Investir em peças de mármore composto (o Marmoglass, por exemplo) é outra forma interessante de conseguir beleza e facilidade na manutenção do local.

Hora da faxina
A limpeza da parte interna da piscina é essencial para manter a qualidade da água e ainda ajuda a prolongar a vida útil do revestimento.
Tratamentos a base de sal e aspirações (com jatos d’água moderados, evitando a saída do rejunte) conseguem eliminar algas e fungos.
Procure ajuda de empresas especializadas ao limpar com cloro e demais produtos químicos. “Fazer uma escovação correta e constante nos rejuntes também evita que as peças se soltem ao longo do tempo” diz Selma Tammaro, arquiteta.